Reflexão Litúrgica Dominical                                      

Reflexão Domingo de Pentecostes - Missa do dia

“RuahEffeta”. Abre-te ao Espírito e verás as coisas do alto."

Celebramos o nascimento da Igreja com a vinda do Espírito Santo. Jesus antes de sua Paixão e Morte prometeu aos Apóstolos que iria enviar “outro Paráclito” (Jo 14, 16), o primeiro é Ele, que ficaria conosco por toda eternidade. É bom meditar na Pessoa do Espírito Santo, Ele é uma pessoa e seu nome é Espírito Santo e como pessoa é consubstancial ao Pai e ao Filho e com Eles deve ser adorado e glorificado (Credo Niceno-Constantinopolitano). A vinda do Espírito Santo é também seu rebaixamento, assim como o Filho se rebaixou e assumiu nossa natureza, o Espírito se rebaixou e veio morar em nossa natureza. Bem, neste sentido, como somos templo do Espírito Paráclito Consolador devemos nos perguntar – Como estamos tratando o Espírito Santo que mora em nós e tem a missão de nos santificar? E veja bem, Ele não nos santifica sozinho, mas nos move a querer a santidade e muitas vezes estamos amarrados em nossas mazelas de posse, nas coisas materiais dentro de um consumismo que só pensamos em ter, ou estamos buscando os prazeres do mundo, ou até mesmo o poder sobre as coisas e as pessoas que nos cercam. Devemos pensar qual é o efeito da vida do Espírito Santo em mim? O quanto quero ser santo? Como quero chegar ao Céu? Se é que penso nisso. Bem, em todas as situações de nossa vida temos um companheiro de caminhada e mesmo sendo Deus – o operador da Trindade – Ele fica esperando o nosso sim para que possa nos conformar a Cristo.

Reflexão Ascensão do Senhor - Páscoa Ano B - 2015

"Unigenitus DeiFilius, suaedivinitatisvolens nos esse participes, naturamnostramassumpsit, ut homines deosfaceretfactushomo.

O Filho Unigênito de Deus, querendo-nos participantes de sua divindade, assumiu nossa natureza para que aquele que se fez homem dos homens fizesse deuses". (CEC 460 – Santo Tomás de Aquino).

Assim é a missão de Jesus de resgatar o homem que estava destinado ao inferno por causa do rompimento com Deus e torná-lo participante das coisas divinas. Por isso que o Verbo aniquila-se de sua condição divina e se faz um conosco. “Ele tinha a condição divina, e não considerou o ser igual a Deus como algo a que se apegar ciosamente. Mas esvaziou-se a si mesmo, assumiu a condição de servo, tomando a semelhança humana. E, achado em figura de homem, humilhou-se e foi obediente até a morte, e morte de cruz!”. (Fl 2,5-8). Quão imenso é este amor. Alguém pode compreender um amor assim? Deus se fez homem, o Onipotente se limita em um corpo; o Onipresente delimitado no tempo e espaço; o Todo Poderoso a mercê de sua criatura; o Criador agora se faz homem e se torna criatura. Mas o mais espetacular desta obra de Deus é que o verbo desceu e se fez homem e subiu ao Céu como homem fazendo do homem uma divindade, hoje temos um homem-Deus andando no Céu. Nossa raça humana que estava destinada ao inferno agora está à direita do Pai. Graças à misericórdia do Pai que nos deu seu filho para nos resgatar da perdição eterna.

Por isso que celebrar a Ascenção do Senhor é celebrar a exaltação da raça humana ao grau da divindade. Não que seremos um deus, mas que estando plenamente imerso em Deus seremos um com Ele. Estaremos plenamente no Amor por toda eternidade, o tempo não haverá, as preocupações não existirá e nada poderá perturbar onde somente haverá o Amor infinito. Jesus ao subir ao Céu concede a humanidade um prêmio que não podemos imaginar sua grandeza.

Top5

1Tony Allysson
Purifica-me
2Canal da Graça
Anjo Guardião
3Rosa de Saron 
Cartas ao Remetente 
4Ministério Vida e Comunhão
Teu Avivamento
5Ministério Adoração e Vida
Herói

Tenha você também a sua rádio